sexta-feira, 11 de abril de 2008

Mel & Eu


[Capa do Livro Marley & Eu]



Estou lendo Marley & Eu. Estou adorando. Já me identifiquei com várias passagens da estória. Estou na metade do livro. Na gravidez do 2º filho. É um livro que prende o leitor fácil. Ainda mais se ele tem cachorro em casa. Cachorro rebelde rs

Já chorei e tudo lendo o livro. Chorei na parte que ela foi fazer a ultra da 1ª gravidez e quando chegou lá, o bebê não ouviram o coração do bebê. Ruim demais. Que angústia...

Identificação quanto ao cachorro rebelde

Segunda-feira, cheguei em casa e encontrei a cozinha cheia de jornal rasgado, picadinho. Leia-se: jornal cheio de xixi e cocô. É, é isso mesmo que vocês estão lendo.

Eu moro num apartamento, bem espaçoso até, mas como a Mel só tem 3 meses, deixamos ela presa na cozinha quando vamos trabalhar.
O problema é que ela fica sozinha de 7h30, 8h00 até umas 22h30, 23h00. Muito tempo! Tempo suficiente para ela fazer arte, pular, brincar, morder tudo e mais um pouco, comer toda a comida e beber toda a água, destruir a caminha dela, picotar o jornal, mijar e cagar várias vezes (no jornal, na caminha, no chão, onde ela bem entender), comer cocô (isso mesmo :-S), chorar, uivar, entrar em desespero.

Na segunda quando cheguei, eu simplesmente não sabia se eu chorava, se eu batia nela ou sei lá o que... fiquei parada, olhando aquela cena, com uma dor no coração... Estava morta. Cansada demais. Eram umas 22h30.
Finji que não era comigo, peguei a minha chaleira, esquentei a água e fiz a minha sopa. Fui pra sala, tomei minha sopa, vi TV, comi gelatina, e quando eu estava cansada de ver TV, fui lá reparar o estrago.

Chegar em casa cansada e ter que limpar cozinha cagada é o que há de pior!

Confesso que não bati na Mel porque a decepção foi maior do que a raiva. E de nada adianta bater depois do feito; ela não entenderia. Pra que o cachorro aprenda, tem que ser na hora ou logo depois do fato consumado.

No início, eles contam várias peripécias do Marley, um labrador um tanto incomum. O temperamento do Marley é bem parecido com o da Mel: brincalhões e imprevisíveis. Mas apesar de loucos, despertam na gente um amor incondicional.


Mãe de cachorro como preparação para mãe de um bebê

A Jenny comprou o Marley porque ela queria saber se saberia cuidar de uma vida, por a única vida que ela teve que cuidar foi a de uma planta, que ela "matou", afogando-a. rs

Eu nunca pensei em comprar um cachorro. Sou alérgica a cachorro. Ficava mal quando passava o fim de semana na casa de Eduardo. Alergia ao Chiquinho (pincher), a Brida (labrador - linda, linda!) e a Filó (pincher). Sabia que nunca poderia comprar um.
Mas Eduardo queria porque queria. Íamos comprar um daschund. Mas acabou vindo a Mel: uma beagle com cara de "me compre, me compre!".

"Amor, dizem que é um cachorro enérgico, elétrico, muito agitado, que precisa de espaço." O que ouvi? "Desde criança eu queria um beagle".

Pegamos a Mel no dia 09/02/2008, sábado depois do carnaval. Ela é de 30/12/2007. Ou seja, tinha pouco mais de um mês. Mas parece que ela já está lá em casa há anos!

Mas então... Vira e mexe Eduardo diz pras pessoas que comprou a Mel para me testar, para saber se eu serei uma boa mãe. Vê se pode! Logo um cachorro, animal ao qual eu sou alérgica!!!

Algumas diferenças básicas:




  • A Mel não pode entrar no meu quarto por recomendação da Alergista. Meu filho vai poder.

  • Não posso ficar muito com ela, que fico mal da alergia (nas primeiras semanas, tomei vários remédios; fiquei muito mal). Não tenho alergia a bebês. Então não vou ficar passando mal.

  • A Mel faz cocô e xixi no chão. O bebê fará sempre que possível na fralda.

  • O meu filho não vai ficar rasgando jornal. Espero que não rs

  • Meu filho não vai soltar pêlos pela casa toda. Já a Mel... Posso varrer a casa todo santo dia que terá um monte de pêlos flutuantes. rsrs



E um monte de outras coisas...
Complicado né?!


Mas apesar dos pesares, amo demais a bichinha. Nem sei como nem porque rs Só sei que ela é linda, barriguda (quase sempre suja de xixi, cocô e sujeira), de orelhão lindo (quase sempre molhado de água do potinho rs) e com cara de levada!


Ah! Ela é alérgica a perfumes e produtos de limpeza igual a mãe! Fica espirrando e tudo! rsrs
Muito fofa!

[Comendo ossinho na casa do vovô]


Quando eu terminar de ler o livro, dou meu parecer geral sobre o mesmo.

3 comentários:

Juliana disse...

Oiiee Thais,
esse livro é muito bom mesmo, comecei a ler so que nao terminei, mas pretendo retornar, eu tenhoum labrador e é igual como o livro diz.!

bzaoo amiga, bom final de semana.!

Danielle Balata disse...

Eu adoroooo animais.. e esse livro muito me interessou.. acho que vou adquiri-lo.
Beijos querida.

Cris disse...

Ohn! Estou apaixonada pela Mel!!! Gente, que fofa!!!!

Eu sempre sonhei em ter um cachorro, mas meus pais não gostam e sempre moramos em apartamento. Hoje que sai da casa dos pais, arrumei um namorido que tem PAVOR, repito PAVOR de cachorro! Pode ser a coisa mais fofa e pequena do mundo que ele começa a tremer coitado! =) Pra completar viajamos com frequencia, moramos num quitinete.... então ter um cachorro, nem tão cedo! =(

Tento me contentar em acariciar o gato do vizinho! =)

beijao