segunda-feira, 29 de março de 2010

Os melhores alimentos para combater a tensão pré-menstrual

“Mulher TPM. Sou eu. Muito prazer.”: essa foi a frase que coloquei hoje mais cedo no Twitter.

Impressionante como depois de velha (sim, me sinto velha com 30 anos rs), descobri o que é a TPM. A menstruação é precedida de um mal humor que nem eu me aturo, uma cansaço que parece que estou doente de tão cansada, uma irritabilidade mais que o normal. Hoje seja, fico ainda mais insuportável do que o normal.

O “durante” é uma mistura de dor de cabeça, enjôo, cólicas, dores no corpo e vontade de ficar na cama, debaixo do cobertor, dormindo. No primeiro dia, não sou ninguém. Tem dias que não consigo vir trabalhar, ou continuar no trabalho. Preciso da minha cama.

Há uns 2 anos, com Yasmin imperando, o máximo que sentia era uma dorzinha de cabeça e muita dor nas pernas. E só. O mau humor que já é normal eu não reparava se tinha ou não. Há uns 10 anos, antes das drogas, digo anticoncepcionais, eu não tinha nada, nadica de nada. Nem cólica, nem dor de cabeça, nem nada. Saudade dos 20 anos…

Saudosismo à parte… Abri no O Globo e dei de cara com a matéria abaixo. Foi feita pra mim! Já anotei algumas dicas e amanhã já vou tomar uma vitamina de leite, linhaça, aveia e banana de manhã e a noite um chazinho de camomila para acalmar os ânimos.

Pequenas mudanças na dieta podem melhorar muito os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM), afirmam pesquisadores da Universidade do Massachusetts, nos Estados Unidos. A dor de cabeça, o inchaço, a irritabilidade e o cansaço atrapalham a vida de quase todas as mulheres em idade fértil, mas podem ser especialmente ruins para 20% delas. Todas podem se beneficiar de uma dieta mais natural, sem tantos alimentos processados e rica em cálcio e vitamina D. O ideal é cuidar da alimentação diariamente. Se isto é impossível, que tal dar uma reforçada no prato nas duas semanas que antecedem a menstruação? Confira a lista do que não deve ficar de fora do cardápio:

Latícinios, soja, sardinha e espinafre - Vários estudos ligam a deficiência de cálcio e mulheres que sofrem de TPM severa. Uma pesquisa turca mostrou que adolescentes que tomavam um copo de leite diariamente tinham menos cólicas, retenção de líquidos e compulsão alimentar. Quem tem intolerância à lactose deve investir no espinafre e outras folhas escuras e na sardinha, ou optar por suplementos.

Batata, camarão, suco de ameixa, peru, banana -Se a tristeza e a depressão são seus maiores problemas, aposte nestea alimentos. Eles são ricos em vitamina B6, um nutriente que a maioria das mulheres tem deficiência. Como doses altas da vitamina podem causar intoxicação, não tome suplementos sem orientação médica.

Abacaxi, germe de trigo, espinafre, sementes de abóbora, aveia e berries - Riquíssimos em manganês, estes alimentos ajudam a diminuir a irritação, a depressão e a ansiedade comuns da fase. O ideal é combinar o nutriente com o cálcio, já que um ajuda o organismo a aproveitar o outro.

Linhaça - As sementes são ricas em ômega-3, um ácido graxo que diminui a inflamação no organismo. A ingestão regular da farinha de linhaça, ou de pães e bolos feitos com o ingrediente, é uma ótima arma contra a dor. A linhaça também contêm uma substância chamada lignana, que modula o estrogênio e ajuda a a regular o ciclo menstrual.

Arroz integral, amaranto, feijão, amendoim, pão integral, castanha de caju e quinua - Estes alimentos são ricos em magnésio, um nutriente que ajuda a regular o humor e melhora retenção hídrica. Estudos indicam que o magnésio ajuda a regular a produção de serotonina, neurotransmissor que equilibra a sensação de bem-estar.

Chá de camomila - Todo chá cai bem, mas o de camomila é especialmente eficaz porque diminui os espasmos musculares. É ótimo para mulheres com cólica, dores no corpo ou fadiga. Experimente também se você costuma ficar muito irritada nesta fase. As melhores horas para consumi-lo são entre as refeições ou antes de dormir.

Evite:

Sal, salgadinhos e congelados - O sal e o sódio aumentam a retenção de líquidos e as dores de cabeça. Tente ingerir no máximo uma grama (ou uma colher de café) do tempero por dia.

Álcool -As bebidas alcoolicas podem aumentar a sensibilidade e piorar a dor, principalmente nos seios. O alcool também pode causar hipoglicemia (uma queda do açúcar no sangue) e aumentar a vontade de comer doces e alimentos gordurosos. Se for impossível não beber, evite passar da segunda taça.

Cafeína - O refrigerante, o mate e o café podem dar um alívio momentâneo, mas depois pioram a dor e a irritabilidade. O ideal é evitar estas bebidas por completo, mas se só de pensar em não tomá-las aumenta a ansiedade, melhor limitar a ingestão. Uma ou duas xícaras de café ou copos de refrigerante são o suficiente.

Gorduras saturadas - Alguns estudos relacionam a alta ingestão de gorduras e dores nos seios. Evite os molhos gordurosos, as carnes pesadas, frituras e doces cremosos.

(Fonte: O Globo)

A sessão Mulher do O Globo tem sempre uma reportagem legal. Vale a pena dar uma espiada de vez em quando. Fica a dica.